Robinho diz que sexo oral não é transar, em trechos do processo judicial

Trechos de sentença judicial italiana e transição de grampos telefônicos foram divulgado nesta sexta-feira(16)

Por Paula Almeida em 16/10/2020 às 16:19:44
O Conselho Deliberativo deve votar na próxima quarta-feira(21), pela contratação ou não do jogador. Foto: Ivan Storti/ Santos FC

O Conselho Deliberativo deve votar na próxima quarta-feira(21), pela contratação ou não do jogador. Foto: Ivan Storti/ Santos FC


A contratação do atacante Robinho, tem repercutido muito nas redes sociais desde o último sábado,depois que o Santos anunciou como reforço, isto porque, o jogador é condenado em primeira instância pela justiça italiana, o atacante recorre à sentença.

Na manhã desta sexta-feira (15) o Ge publicou uma matéria ao qual teve acesso ao processo que mostra trechos da sentença judicial e transição de grampos telefônicos, que foram decisivo para condenação em primeira instância.

De antemão, na sentença ele e outro amigo foram condenados há nove anos de prisão, em novembro de 2017, entretanto, ainda não é definitiva, os advogados de ambos apresentaram recursos. A análise em segunda instância está prevista para dia 10 de dezembro, segundo a Corte de Apelo de Milão.

Vale ressaltar, que o caso ocorreu em 2013 na boate Sio Café, em Milão, além de Robinho e o amigo Ricardo Falco, outros quatros brasileiros estariam envolvido no caso de violência sexual, como classificou a Procuradoria de Milão. O advogado Jacopo Gnocchi, representante da vítima, disse que devido terem deixado a Itália no decorrer das investigações, os outros quatro estão sendo julgado à parte.

Em conversas telefônicas com o amigo Falco,o jogador se mostrou preocupado com possibilidade da vítima prestar depoimento.

Falco: –Ela se lembra da situação. Ela sabe que todos transaram com ela.

Robinho: – O (NOME DE AMIGO 1) tenho certeza que gozou dentro dela.

Falco: – Não acredito. Naquele dia ela não conseguia fazer nada, nem mesmo ficar em pé, ela estava realmente fora de si.

Robinho: – Sim.

Em outro diálogo com o músico Jairo Chagas, que se apresentavam na boate naquela noite, o músico alertou Robinho sobre a investigação, onde o jogador teria respondido o seguinte:

– Estou rindo porque não estou nem aí, a mulher estava completamente bêbada, não sabe nem o que aconteceu.

– Olha, os caras estão na merda... Ainda bem que existe Deus, porque eu nem toquei aquela garota. Vi (NOME DE AMIGO 2), e os outros foderam ela, eles vão ter problemas, não eu... Lembro que os caras que pegaram ela foram (NOME DE AMIGO 1) e (NOME DE AMIGO 2).... Eram cinco em cima dela.

Em mais uma conversa, o músico chegou a perguntar se o jogador teria tido relação sexual com a vítima:

Robinho: –A polícia não pode dizer nada, eu direi que estava com você e depois fui para casa.

Jairo: – Mas você também transou com a mulher?

Robinho: – Não, eu tentei. (NOME DE AMIGO 1), (NOME DE AMIGO 2), (NOME DE AMIGO 3)...

Jairo: – Eu te vi quando colocava o pênis dentro da boca dela.

Robinho: – Isso não significa transar.

Nas conversas grampeadas do jogador com o amigo Falco, eles chegaram a combinar respostas que daria no depoimento. Por outra lado, embora em conversa com uma amiga o músico Chagas tenha chamado de estupro, o que ocorreu na boate, em seu depoimento Jairo disse não ter visto as cenas de sexo.

A defesa do jogador se manifestou dizendo que não houve violência, que foi uma relação sexual de maneira consentida, além disso, disse que houve distorção e corte na transição dos áudios e que os advogados em Milão e Roma tomaram as devidas providências.

Por outro lado, os patrocinadores do time santista cobram resposta do clube e não descartam a possibilidade de rompimento de contrato, caso o Santos siga com a contratação. A princípio, a decisão de validar ou não o contrato do jogador, está na mão do Conselho Deliberativo do clube, isso porque qualquer contratação faltando três para eleições, precisa da aprovação do Conselho.

CX Radio

Comentários